Slide
Slide
Slide
Slide
Slide
Slide

O Diretor da empresa Grandes Planos, Ricardo Gomes, em entrevista à Santo Tirso Tv fala do sistema pioneiro de encriptação de emails desenvolvido pela sua empresa.


A empresa Tirsense Grandes Planos foi notícia no início do ano pelo fato de divulgar que pretende arrancar em 2015 com a versão beta do novo sistema de encriptação de 'emails' desenvolvida conjuntamente com o Ladar Levison, fundador do serviço de emails usado por Edward Snowden.
O Diretor da empresa Grandes Planos, Ricardo Gomes, em entrevista à Santo Tirso TV explicou como vai funcionar este novo software.

Em que é que consiste a versão beta? E que papel teve a Grandes Planos na criação e utilização deste mesmo sistema?

A Versão Beta consiste em vários softwares a funcionar em conjunto que criam o produto final (Uma versão de todos os softwares numa versão provavelmente ainda com alguns bug’s que é gratuita para testes)

A Versão Beta irá englobar o seguinte:
1.    Volcano Client (Software idêntico ao Outlook ou Thunderbird) 2.    Magma Server (Hardware especificamente produzido e alterado para não existirem fugas de informação e para não poder ser atacado ou hackeado, como se diz no meio informático) 3.    DIME (Software para Servidores, idêntico ao Microsoft Exchange)
4.    DMTP (Dark Mail Tranfers Protocol) (Protocolo para o envio dos mails encriptados, isto é um pouco de SMTP, SSH, SSL num só com mais funcionalidades e muito mais seguro) 5.    WebMail
A notícia foi avançada no arranque do novo ano. Este é um dos objectivos da vossa empresa para 2015?  

Sim, é apenas um objectivo dos muitos que temos e de vários produtos revolucionários que vamos lançar ainda no decorrer do ano. O nosso objectivo relativamente ao Dark Mail passa por lançar o produto final sem bug’s antes do final de 2015.

A notícia foi avançada no arranque do novo ano. Este é um dos objectivos da vossa empresa para 2015?

Sim, é apenas um objectivo dos muitos que temos e de vários produtos revolucionários que vamos lançar ainda no decorrer do ano. O nosso objectivo relativamente ao Dark Mail passa por lançar o produto final sem bug’s antes do final de 2015.

Sendo a Grandes Planos uma empresa constituída por jovens, como se sentem ao perceber que estão na vanguarda e ao lado de grandes especialistas como é o caso de Ladar Levison?

Não é por meros motivos que trabalhamos com os melhores em todo mundo. Também temos uma excepcional equipa de desenvolvimento com ideias ainda mais excepcionais e inovadoras, uma equipa que trabalha com perfeccionismo e cujos resultados são de uma qualidade indubitável. Passamos a ser conhecidos mais internacionalmente que nacionalmente devido a todos esses factores em conjunto.

A Grandes Planos apresenta-se como uma empresa inovadora na área da publicidade e do audiovisual e multimédia. Esta vertente mais complexa da informática também se enquadra na vossa empresa ou foi uma aposta recente?

A Grandes Planos começou especificamente nesta área, mais virada para o mercado nacional, mas não é a área principal desta empresa inovadora. Um dos pontos fortes da Grandes Planos é a criação de campanhas publicitárias de marketing com tudo possível e imaginário. Infelizmente só conseguimos, para já, dar provas disso no estrangeiro. Nós somos bons na área de publicidade, audiovisual e multimédia, mas somos ainda melhores no que concerne o desenvolvimento de software tal como o design do mesmo, a criação de interfaces simples, somente com as informações realmente necessárias, providas de um design vistoso em todos os dispositivos, de utilização rápida e de simples.

A Grandes Planos está sediada em Santo Tirso. Alguma vez sentiram necessidade de se posicionar noutro local para chegarem a um mercado mais alargado?

Para já, isso nunca foi necessário. A nossa maior clientela já se encontra no estrangeiro, mais precisamente na Suiça, Alemanha e nos Estados Unidos.  O mercado nacional só representa uma pequena percentagem da facturação da Grandes Planos. Espero que isso mude e que o mercado português perceba que a Grandes Planos pode fazer milagres com o seu negócio. 

A Grandes Planos entrou no mercado em 2011. Qual o balanço que fazem destes quatro anos?

Os primeiros 2 anos foram extremamente difíceis, em 2014 conseguimos finalmente concluir 95% de todos os objectivos que tínhamos, mas o caminho continua difícil. Isto tudo requer muito trabalho, empenho, ideias e o fundamental, que é acreditar que vamos chegar onde queremos chegar. Mas o balanço é positivo e eu encaro o futuro com optimismo.

Sentem-se já a competir com os líderes de mercado?

Não existe nenhuma empresa em Portugal a desenvolver o que desenvolvemos. A Grandes Planos é uma empresa revolucionária neste ramo. Em muitos projectos que fazemos queremos reinventar a roda... por isso mesmo não temos competição neste ramo. Existem empresas que produzem partes do que fazemos na totalidade mas até hoje nunca vi nenhuma que fosse tão revolucionária e virada para o futuro como a Grandes Planos.  Queremos, sim, tornar a Grandes Planos um líder do mercado. Não no mercado já existente, mas sim num novo que ainda está para vir...até lá, é preciso muita força de vontade, coragem, e também muita sorte.